13/04: Inteligência artificial e fake news serão tema de debate no Museu do Amanhã

Também será apresentado o robô Fatima, criado para combater mentiras na internet. Inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site da instituição

Dando continuidade à programação de discussões sobre temas de relevância para a sociedade neste ano de transformações para o país, o Museu do Amanhã promove debate sobre inteligência artificial e fake news. O evento acontece nesta sexta (13/04), a partir das 11h, no auditório do museu (sujeito à lotação). As inscrições devem ser feitas pelo site

Com intermediação do jornalista Gilberto Dimenstein e apoio de instituições como a ESPM, Aos Fatos e Catraca Livre, o debate reunirá comunicadores e especialistas em inteligência artificial e em checagem de fatos. Entre eles: Rodrigo Helcer, CEO do Stilingue; Tai Nalon, dirigente de Aos Fatos; Pedro Doria, colunista de tecnologia da informação; e ainda Maria Elisabete Antonioli, coordenadora do curso de jornalismo da ESPM.

O evento faz parte do lançamento do Projeto ReVer (Rede da Verdade), que reúne veículos de comunicação, entidades acadêmicas, empresas de tecnologias e algumas das principais organizações da sociedade civil (OAB, por exemplo).

Na ocasião, será apresentado o robô Fátima, desenvolvido por brasileiros para ajudar a combater as mentiras na internet – esse robô ganhou prêmio de R$ 100 mil do Catraca Livre em parceria com Instituto SEB de Educação e apoio da Microsoft. Mais detalhes aqui: http://bit.ly/2EpebqA

O nome escolhido para o robô vem de “FactMa”, uma abreviação de “FactMachine”. Com início de operação previsto para maio, no Twitter e no Facebook, Fátima vai monitorar tweets com links para notícias e informações falsas ou distorcidas e responde com informação verificada. Isso significa que cada perfil do Twitter que compartilhar uma informação errada vai receber automaticamente do perfil @fatimabot, operado automaticamente por Aos Fatos, um link para a checagem de fatos relacionada àquele tweet. De acordo com os criadores, trata-se de uma estratégia de “checagem de guerrilha”, cujo objetivo é conjugar produção de jornalismo de qualidade e se apropriar de ferramentas já usadas por perfis que impulsionam desinformação na rede social. No Facebook, vai responder quando o usuário quiser saber se determinada notícia é falsa.

Inteligência artificial e fake news
Data: sexta-feira, 13 de abril
Horário: a partir das 11h
Local: Auditório do Museu do Amanhã
Praça Mauá, nº 1, Centro – Rio de Janeiro/RJ