23/05: Jornalista indicado ao Prêmio Jabuti apresenta fatos inéditos sobre a Revolução Constitucional de 1932

Luiz Octavio de Lima recebe os leitores para o lançamento do livro 1932 – São Paulo em Chamas, que traz um novo panorama sobre esse período histórico do Brasil

No dia 23 de maio, quarta-feira, às 19h, o autor e jornalista indicado ao Prêmio Jabuti (2015), Luiz Octavio de Lima, recebe os leitores na Livraria da Vila – Jardim Paulista, para uma sessão de autógrafos do livro 1932 – São Paulo em Chamas, publicado pela Editora Planeta.

O jornalista se dedicou por dois anos em uma profunda pesquisa dos locais nos quais ocorreram os marcos mais importantes da Revolução Constitucional de 1932, além de trazer à tona histórias de vida de diversos personagens da época, famosos ou não. Seu estudo, diferente de todas as outras obras com a temática, traz informações nunca abordadas e nem mesmo divulgadas sobre esse período.

Lançamento do livro 1932 – São Paulo em Chamas
Dia: 23/05 – Quarta-feira
Horário: 19h
Local: Livraria da Vila – Jardim Paulista
Endereço: Alameda Lorena, 1.731 – Jardim Paulista – São Paulo/SP

 

1932: a história nunca contada
Editora Planeta lança 1932: São Paulo em Chamas, do respeitado jornalista Luiz Octavio de Lima, que mostra a verdadeira face da Revolução Constitucionalista que ocorreu em São Paulo e se tornou a Guerra Civil mais lesiva do Brasil

Um presidente questionado. O país dividido. Fakenews de ambos os lados. Um astro do futebol nacional consagrado na França. Manifestações nas ruas… 2018? Não! O Brasil de 1932.

O jornalista indicado ao Prêmio Jabuti (2015), Luiz Octavio de Lima se dedicou por dois anos em uma profunda pesquisa dos locais nos quais ocorreram os marcos mais importantes da Revolução Constitucional de 1932.

O levante permeou as mais diversas regiões de São Paulo, sul de Minas, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e norte paranaense. A intenção do autor é registrar o acontecimento do coração da metrópole de SP, na época em acelerada expansão, que explodiu a última e, talvez, a maior guerra civil brasileira.

1932: São Paulo em Chamas, publicado pela Editora Planeta, diferente de todas as obras, traz informações nunca estudadas e nem mesmo divulgadas. Explana verdades que foram dispersadas.

Os paulistas se revoltam contra Getúlio Vargas e o seu governo, pois viviam sob a ditadura do então presidente, e iniciam uma Guerra Civil. Os revolucionários pegaram em armas pela redemocratização e reconstitucionalização.

No dia 23 de maio de 1932 aconteceu o estopim: morrem Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo – mencionados popularmente como estudantes de Direito, o que não eram e na obra o autor desmente isso. A Revolução Constitucionalista começou de fato em 9 de julho do mesmo ano, mobilizou 35 mil homens, entre militares e civis. Todos participaram de alguma forma, como linha de frente, mensageiros, doadores de joias, ouro e objetos de valor.

Logo surgiu um movimento de resistência batizado de Resistência M. M. D. C., em homenagem aos primeiros mortos em batalha. Foram 3 meses de luta, sendo que entre os combatentes tinham fazendeiros, industriais e classe média.

O livro-reportagem aborda detalhes da história de vida de personagens reais, famosos ou não, que participaram da Revolução Constitucional. São histórias como a de Friedenreich, que troca a bola pelo fuzil, e a de Santos Dumont, que movimentou algumas partes de Minas Gerais e o suicídio que rendeu resistências em seu nome. Também foi uma odisseia do cidadão anônimo protagonizando um confronto tão importante para a História do Brasil.

Os paulistas perdem em 2 de outubro do mesmo ano, mas ainda surge uma vitória após 2 anos, pois uma nova Constituição Brasileira é instituída. Em 1932: São Paulo em ChamasLuiz Octavio de Lima expõe uma longa pesquisa que desmistifica muitas histórias contadas sobre a Revolução Constitucional e enriquece com relatos nunca contados que mostram 1932 como nunca antes informado.

Sobre o autor
Luiz Octavio de Lima é jornalista, formado pela PUC-RJ e com MBA em Economia pela Unicamp-Facamp. Atuou nas redações de O GloboFolha de S.PauloVejaO Estado de S. PauloÉpoca Exame. Foi finalista do Prêmio Jabuti 2015 com o livro Pimenta Neves: uma reportagem. É autor de A guerra do Paraguai, publicado pela Planeta em 2016.