25/11: Kilasumak – O Despertar de um Guerreiro

O filme foi produzido por meio do método de cinematerapia, que utiliza técnicas cognitivas-comportamentais que influenciam diretamente no estudo do autoconhecimento


Jonas Masetti, considerado um dos grandes mestres da atualidade em Vedanta – estudo milenar do autoconhecimento – lança em São Paulo o filme ‘Kilasumak – O Despertar de um Guerreiro’ (2018) no próximo dia 25 de novembro, domingo, às 9h, no Cinesala (Rua Fradique Coutinho, 361 – Pinheiros). Produzido com técnicas de cinematerapia – uma espécie de terapia utilizando as artes cênicas –, o média metragem (duração de 50 minutos) foi encenado pelos alunos de Jonas, que assina também o roteiro. O filme que já foi exibido no Rio de Janeiro, em junho deste ano, durante a mostra Novo Cinema Indiano.

‘Kilasumak – O Despertar de um Guerreiro’ conta a história de dois jovens que buscam o reconhecimento de suas tribos e tentam a todo custo provar seu valor como verdadeiros guerreiros, porém só aquele que for corajoso o suficiente terá êxito diante de suas próprias ambições. Após a sessão, Jonas fará uma palestra aberta ao público com o tema ‘Cinematerapia, uma experiência criada’.

O princípio da cinematerapia foi inspirado no teatro grego em que a representação dramática tem a capacidade de proporcionar uma libertação emocional. Muito utilizada nos Estados Unidos, essa técnica cognitivo-comportamental influencia diretamente no estudo do autoconhecimento e traz benefícios aos pacientes que sofrem algum tipo de transtorno psicológico. O método cria no indivíduo um processo de identificação com o personagem ou com a história, atuando como terapia ao auxiliar pessoas a se distanciarem dos problemas da vida real e possibilitando que analisem melhor as suas dificuldades, procurando melhores maneiras de superá-las.

Seguindo esse conceito novo de cinema, Jonas Masetti explica que levar as pessoas que já estão dentro de um processo terapêutico a passar por essa experiência de fazer um filme, criando um personagem, se dedicando a esse trabalho, contribui para suas transformações pessoais, pois não se trata de um filme comum de cinema, tem uma qualidade e uma autenticidade por trás desse trabalho. “Alguns atores vieram de Portugal especialmente para vivenciar essa oportunidade de cinematerapia. É gratificante e, ao mesmo tempo, enriquecedor ver o depoimento dessas pessoas e sua evolução. Tudo que foi realizado nesse filme, as câmeras, as lentes, as luzes, o figurino, o cenário, foi construído pelos próprios alunos com um propósito maior, o do autoconhecimento por meio da sétima arte”, conclui o mestre do Instituto Vishva Vidya (Vedanta.Life https://www.vedanta.life/).

Ficha Técnica
Título: Kilasumak – Despertar de um Guerreiro (2018)
Direção: Jonas Masetti
Classificação: Livre
Duração: 50 minutos
Gêneros: Drama, Ação
Lançamento: 25 de novembro de 2018

Sinopse: Nas florestas de uma terra esquecida pelo tempo, o jovem Kilasumak, um pária da Tribo do Escorpião, decide que chegou a hora de provar o seu valor. Em uma tribo rival, a bela e bem-criada Keyla está decidida a contrariar os desejos de casamento de seu velho pai – o impetuoso cacique Hakan – para seguir o sonho de tornar-se uma forte e independente guerreira. A busca de ambos os jovens pela glória do reconhecimento os levará a um inevitável conflito, onde só encontrará o que procura aquele que for corajoso o suficiente para ir além das próprias ambições.

Data de lançamento em São Paulo: 25 de novembro de 2018 – domingo
Horário: às 9h
Local: Cinesala
Endereço: Rua Fradique Coutinho, 361 – Pinheiros – São Paulo/SP
Valor do ingresso: R$ 40,00

Perfil Jonas Masetti
Jonas Masetti, chamado na Índia de Vishvanatha, brasileiro, tem 36 anos, e é mestre em Vedanta – estudo milenar do autoconhecimento. É discípulo do Swami Dayananda Saraswati, considerado o maior mestre de Vedanta da atualidade, tendo vivido por quatro anos na Índia, onde se formou Mestre em Vedanta pelo Ashram do Swmi Dayananda em Coimbatore em 2013.

É formado em engenharia mecânica pelo IME (Instituto Militar de Engenharia), foi sócio fundador da Morning Star Consulting, onde atuou no mercado financeiro e de multinacionais como consultor de negócios. Sua empresa chegou a ser uma das maiores na área de consultoria em gestão e estratégia para grandes empresas, chegando a ter 100 funcionários em 2003. Apesar de todo o sucesso profissional, Masetti buscava uma resposta e se manteve firme neste propósito, passando por diversos grupos e professores, até chegar à Índia.

Fundou em 2013 o Vishva Vidya, instituto de espiritualidade, que tem por objetivo ser um agente transformador de pessoas para a construção de um mundo melhor para todos por meio da disseminação do Vedanta. O Instituto conta com o portal Vendanta.Life, que agrega uma comunidade com mais de 30 mil pessoas e mais de 400 alunos regulares. O conhecimento do Vedanta é disseminado por meio de aulas online, usando tecnologia de ponta, que permite alcançar alunos em outros países, tais como Estados Unidos, Portugal, México e África, bem como pessoalmente em eventos pontuais e retiros espirituais junto à natureza ou dentro de ambientes empresariais, focado aos líderes das companhias.

Sobre o Vedanta
Vedanta é o nome do estudo realizado a partir do final dos Vedas – quatro escrituras básicas da cultura hindu, que deu origem ao conceito de autoconhecimento. Na sua etimologia o termo vedanta possui dois significados: ‘aquilo que se encontra ao final dos Vedas’, pois ‘anta’ em sânscrito significa ‘fim’; e também, ‘o conhecimento final’, já que a palavra ‘veda’ também significa simplesmente ‘conhecimento’.

O estudo consiste em uma mudança cognitiva, a correção de uma visão sobre o mundo e si mesmo. A visão errônea é a causa do sentimento de limitação, impotência e incompletude, que é básico em todo o ser humano.

Desse modo, Vedanta não é considerada uma religião. O conhecimento proposto se dá pelo uso de um meio externo ao sujeito. Assim como a ‘olho nu’ não somos capazes de ver a si mesmo, ninguém é capaz de ‘ver’ o ‘eu’. Portanto, Vedanta é como um espelho: funciona como meio de conhecimento para aquilo que não podemos ver sozinhos.