25 e 29/07: Virgílio Pedro Rigonatti estará na programação paralela da Flip

Autor é convidado da Casa Santa Rita de Cássia em Paraty

Em 2018, o período mais tenso da Ditadura Militar no Brasil completa 50 anos. Não foram tempos sombrios apenas no Brasil, mas aconteceram diversos fatos marcantes ao redor do mundo. O Ano de 1968 ficou conhecido por ser um dos mais importantes devido a muitos movimentos de transformações sociais, políticos e culturais.

No Brasil, os acontecimentos foram de Batalha da Maria Antônia à instituição do AI-5, pelo então presidente e general Costa e Silva. Foram muitas mortes e prisões de todos aqueles que se mostravam contrários ao governo.

Para disseminar toda a história ocorrida no Brasil e ao redor do mundo, Virgílio Pedro Rigonatti, autor da obra ‘Cravo Vermelho’, participa de uma mesa de debate na Casa Santa Rita de Cássia, durante a Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), no dia 29 de julho.

Mesa de debate – Cravo Vermelho
Data: 29 de julho (domingo)
Horário: 11h – 14h30
Local: Casa Santa Rita de Cássia
Endereço: Rua Doutor Pereira, 396 – Centro Histórico – Paraty/RJ

Sinopse
Pedrina conhece Valério, um menino de olhar triste, nos bancos do ginásio. Logo surge entre eles uma grande afinidade. Pedrina descobre os livros e, na sua voracidade por saber e entender o mundo, guia o colega por meio de estudos e leituras, ao mesmo tempo que tenta desvendar o mistério que ronda aquele tímido rapaz. Sensibilizada pelos conflitos de Valério e encantada por sua beleza, apaixona-se. Mas vive um amor platônico, sem coragem de se declarar, por medo de perder o amigo. Cravo Vermelho é um retrato da sociedade e dos acontecimentos dos anos 1960 no Brasil e no mundo. Transita pela inquietação da juventude em busca de novos caminhos, pelo embate ideológico entre direita e esquerda, pelo comodismo de grande parcela de nosso povo, ao mesmo tempo em que revela uma história de amor comovente entre jovens que buscavam seu lugar naqueles tempos conflituosos e de esperança.

Sobre o autor
Nascido em 22 de março de 1948, no bairro de Vila Anastácio, na cidade de São Paulo, Virgilio Pedro Rigonatti começou a escrever aos 60 anos. Desde sempre o contador oral das riquíssimas histórias da família, descobriu um prazer imenso em escrever ao registrar em um blog a trajetória do clã. Após lançar seu primeiro livro, Maria Clara, a Filha do Coronel, pela Editora Gente, romance baseado na vida de sua mãe, decidiu fundar a sua própria editora, a Lereprazer, cujo título de estreia é este Cravo Vermelho. Atualmente, Virgilio prepara o lançamento da sequência de Maria Clara e trabalha em um novo romance.