Além do carnaval: a homossexualidade masculina no Brasil do século XX

Publicado pela primeira vez em 1999, Além do carnaval, trabalho do pesquisador, brasilianista e ativista pelos direitos LGBT, chega à segunda edição

Por muito tempo, o que parecia tolerância – o carnaval em que homens vestidos de mulher transpirava aceitação – era, na verdade, apenas uma camuflagem para o preconceito. E é esta investigação profunda da homossexualidade no Brasil do século XX que o brasilianista e ativista pelos direitos LGBT James Green conduz com maestria em Além do carnaval: a homossexualidade masculina no Brasil do século XX, que chega à segunda edição depois de 20 anos da primeira publicação pela Editora Unesp.  

“Desde 1999, portanto com duas décadas de existência, Além do carnaval tornou-se referência incontornável nos debates sobre homossexualidades e masculinidades, não apenas no campo da historiografia, mas em diversas outras áreas do conhecimento”, anota o professor de Direito da Unifesp Renan Quinalha no prefácio.

A obra divide-se em sete capítulos: no primeiro, Green investiga os “prazeres nos parques do Rio de Janeiro na belle époque brasileira”, de 1898-1914; no segundo, o sexo e a vida noturna de 1920 a 1945; na sequência, no terceiro, explora elementos de “controle e cura: reações médico-legais”; já no quarto, examina novas palavras, novos espaços e novas identidades de 1945 a 1968; no quinto, trafega pela “apropriação homossexual do carnaval carioca”; no sexto e penúltimo trata dos movimentos contrários à repressão, com “mais amor e mais tesão”, de 1969 a 1980; o sétimo capítulo vem como conclusão, para amarrar as ideias.

Segundo Barbara Weinstein, Silver Professor da New York University, “em vez de meramente documentar a existência de uma cultura erótica de mesmo sexo no Brasil ao longo do século XX ou nos apresentar um compêndio de notáveis homens gays brasileiros, o autor nos deu um estudo muito complexo e ponderado a respeito da mudança de atitudes sobre sexualidade, espaço público e o controle social no Brasil, no que se refere às experiências de homens que desejam sexualmente outros homens.”

“A permissividade aberta do carnaval, assim diz o estereótipo, simboliza um regime sexual e social que aceita a ambiguidade sexual sem restrições, incluindo a sexualidade do homem em relação ao homem”, escreve Green. No entanto, “quando as fantasias do carnaval são despidas e a vida retoma seu curso normal, surge um quadro um tanto diferente da tolerância em relação aos homossexuais no Brasil.” Leitura ainda atual na segunda década do século XXI. 

Sobre o autor – James Naylor Green é professor de História Moderna da América Latina e diretor da Iniciativa Brasil na Brown University, EUA. Especialista em estudos latino-americanos, Green é brasilianista, tendo vivido no Brasil entre 1976 e 1982, e sua trajetória esteve sempre ligada ao ativismo pelos direitos LGBT. 

TítuloAlém do carnaval: a homossexualidade masculina no Brasil do século XX
Autor: James N. Green 
Tradutores: Cristina Fino e Cássio Arantes Leite 
Número de páginas: 551
Formato: 16 x 23 cm 
Preço: R$ 79,00
ISBN: 978-85-393-0793-7  

Mais informações sobre os livros publicados pela Editora Unesp estão
disponíveis no site: www.editoraunesp.com.br