André Diniz lança mais duas novas histórias

Neste mês de dezembro, André Diniz lança dois novos títulos de HQs: Olimpo Tropical (roteiro dele e desenhos de Laudo Ferreira, publicado também em Portugal) e Matei Meu Pai e Foi Estranho, com roteiros e desenhos dele.
 a
Olimpo Tropical
Roteiro de André Diniz – Desenho de Laudo Ferreira
144 páginas
Formato 205 x 275 mm
Um inferno particular, onde o respeito virá pelo crime e a paz virá pela vingança: este é o Olimpo de Biuca. Mesmo sendo manco, o destino o ajuda: agora, ele é vigia do tráfico de drogas, com a missão de atirar nos policiais que ousarem invadir a favela pela única escada de acesso. Um Inferno camuflado de Paraíso pelos olhos enganosos de um jovem sonhador. Uma tragédia particular; mais uma entre muitas deste Olimpo Tropical.
 a
Matei Meu Pai e Foi Estranho
Roteiro e desenhos de André Diniz
120 páginas
Formato 170 x 240 cm
Zaqueu começa com Z, a última letra do alfabeto. Deslocado por natureza e vocação: Zaqueu nasceu albino, de cabelos e pele mais que brancos, em meio a uma família de gente morena. Nasceu artista, embora a sua família nem imagine o que seja isso. É pobre, mas estuda em escola de rico – o patrão do seu pai é mesmo um sujeito generoso. Conhecemos e tornamo-nos Zaqueu nos seus momentos triviais e também nos marcantes: a descoberta de que seu pai tem uma outra família, os atritos com o irmão metido a marginal, as tentativas patéticas de desvendar o sexo oposto. Mesmo em em uma cidade de 12 milhões de habitantes, Zaqueu procura o seu lugar, talvez em vão, mas procura. Ele sabe que São Paulo vai devorá-lo vais cedo ou mais tarde. Pois que venha, então.
 a
André Diniz é roteirista e desenhista brasileiro de HQs. Publicou mais de 30 títulos por diversas editoras brasileiras, tendo sido publicado também na França, Inglaterra, Polônia e Portugal, país onde vive hoje. Entre seus trabalhos mais conhecidos, estão 7 Vidas, Morro da Favela, Que Deus Te Abandone e O Idiota.
 a
Laudo Ferreira é desenhista e roteirista de HQs, atuante desde o início dos anos 80. Dentre seus trabalhos, destacam-se Yeshuah Absoluto, Cadernos de Viagem, Histórias do Clube da Esquina, as adaptações dos filmes do Zé do Caixão, do romance Auto da Barca do Inferno e a série Tianinha.