Apple I funcional é leiloado em Londres

O raríssimo computador funcional Apple I – o icônico modelo da Maçã criado por Steve Jobs e Steve Wozniak numa garagem da Califórnia – foi leiloado no início de maio por quase R$ 2 milhões

Foto: Site Oficial Christie’s

A casa de leilões Christie’s, de Londres, na Inglaterra, foi quem bateu o martelo para o novo dono. Os leiloeiros estimaram que a peça alcançaria um montante entre R$ 1,5 e R$ 2,4 milhões. Isso se confirmou, pois o comprador – que não teve a identidade revelada – pagou £371.250, cerca de R$1,9 milhão.

Embora pareça um preço astronômico, o valor está longe de ser o maior pago por um Apple I. Há alguns anos, uma unidade deste dispositivo, que marca o início da era tecnológica, foi comercializada pelo equivalente a R$ 3,5 milhões.

O Apple I leiloado recentemente é um modelo totalmente funcional, com memorabilia adicional e uma variedade de itens. Entre eles uma maleta de transporte, onde o computador foi montado e o primeiro manual emitido pela Apple Computer, assinado por Steve Jobs, Steve Wozniak e Ronald Wayne (o terceiro cofundador da Apple). Acompanhou o lote, periféricos como um teclado de alumínio, monitor e interface para fita cassete. Acredita-se que este seja o décimo dispositivo Apple I produzido, de acordo com registros do site 9To5Mac.

O Apple-1 foi desenhado por Steve Wozniak para uso próprio, na década de 1970. A ideia para comercializar o equipamento partiu do amigo Steve Jobs, que anunciou o computador como “um sistema de microcomputador realmente completo em uma única placa de PC. Um sistema de computador extremamente poderoso que pode ser usado para qualquer coisa, desde o desenvolvimento de programas a jogos ou BASIC. A configuração inicial é essencialmente ‘livre de problemas’ e você pode rodar em minutos”. Ninguém imaginaria que a máquina vendida em 1977, ao preço de US$ 666,66 (aproximadamente R$ 2.700), se tornaria tão valiosa.

O site da Christie’s explica que foram construídos cerca de 200 modelos Appple-1, sendo que 80 ainda existem hoje. Destes, 15 fazem parte de acervos de museus ao redor do mundo, incluindo o Smithsonian Museum of Art, em Washington, Estados Unidos. O dispositivo leiloado foi adquirido inicialmente por Rick Conte, em 1977, e doado para uma organização sem fins lucartivos em 2009. Depois foi adquirido por um colecionador particular, até chegar no ex-proprietário, em 2014.