Arte e técnica do vestuário em Santa Catarina

Livro resgata a origem da produção têxtil brasileira e a influência dos imigrantes europeus na indumentária 

A obra “Arte e técnica do vestuário em Santa Catarina” revela como a história, costumes e cultura dos imigrantes europeus influenciaram no mercado da moda do país. Este é o primeiro projeto editorial cultural  do país que usa Inteligência Artificial para a promoção do seu conteúdo.

A história, costumes e cultura de cada canto do país influenciam na forma de se vestir do brasileiro. Fazer esse resgate histórico, revelando trajetórias familiares e, principalmente, resgatando antigos processos produtivos, é o principal objetivo do projeto Arte do Vestuário, que inicia sua primeira imersão no país por Santa Catarina. O livro é o primeiro na área cultural editorial que usa Inteligência Artificial para promover seu conteúdo on-line, garantindo a acessibilidade e fomentando o acesso à leitura e a cultura.

A autora Astrid Façanha fez uma imersão durante 18 meses de pesquisas nas principais indústrias do Vale do Itajaí, um dos principais pólos produtivos da América Latina. Em três capítulos com dinamismo, dados estatísticos, recursos fotográficos e ilustrações, ela trouxe a tona a relação do fio à roupa pronta, estudando a relação entre os artesãos, empreendedores e toda a cadeia produtiva. “Trazemos história de vidas, dados e como os antepassados e suas histórias de imigração de Santa Catarina, eram inspirados em seus países de origem na Europa e aplicavam os conceitos que traziam  no vestuário das antigas gerações até hoje”, diz a autora que entre os insumos para sua pesquisa usou de revistas originais alemãs do século XIX que estão sob a guarda do Acervo Histórico de Blumenau.

O pólo produtivo da região teve início há 130 anos com uma colônia de imigrantes europeus, e hoje representa o terceiro maior polo produtor cadeia têxtil brasileira. Este ciclo histórico é resgatado no livro em uma linha do tempo que faz uma relação entre os acontecimentos históricos que marcaram o Brasil desde que a colônia de Blumenau foi fundada em 1829 e as relações com o mundo, onde na mesma época a Europa passava passava por um período de profundas mudanças com a ascensão de novas correntes revolucionárias, como o iluminismo francês e o esclarecimento alemão.

O livro também prestigia dois museus que guardam a memória da formação da indústria têxtil, o Museu de Hábitos e Costumes e o Museu Hering, ambos localizados em Blumenau.

Tecnologia e Inclusão
Com o objetivo de estimular a leitura e acesso sobre este importante setor, o projeto é o primeiro cultural editorial que usa Inteligência Artificial para promover o conteúdo, por meio do software Watson, da IBM, que utiliza soluções cognitivas. No site do projeto, o Watson atua com um chatbot que age como um cérebro do livro: o leitor  pode nele ” conversar” com a autora do livro, fazer perguntas e buscar temas no livro. Instantaneamente, ele recebe respostas inteligentes e completas, conectando os leitores com o livro.  Além disso, a obra terá versão em audiobook, garantindo a acessibilidade, e online, por meio de um link para download gratuito no site do projeto.

Lei Rouanet de Incentivo à Cultura
O “Arte e técnica do vestuário em Santa Catarina” foi viabilizado via Lei Rouanet de Incentivo a Cultura do Ministério da Cultura, e contou com o patrocínio cultural do Grupo Rovitex. Todos os exemplares são gratuitos e destinados para o público acadêmico, sendo que a distribuição está sendo focada em escolas públicas, bibliotecas, universidades, museus e centros culturais.