CAPITÃO FEIO GANHA RELEITURA REALISTA E ANGUSTIANTE EM NOVO TÍTULO DO SELO GRAPHIC MSP

Sempre tão aguardada pelos fãs da Mauricio de Sousa e de graphic novels em geral, a coleção Graphic MSP traz o seu 16º título, Capitão Feio – Identidade, que promete cativar os leitores

O lançamento é um dos destaques da PANINI. A publicação tem 100 páginas e chega em duas versões: capa dura, com preço sugerido de R$ 36,90, e brochura em capa cartão, por R$ 26,90. A edição conta ainda com 11 páginas de extras sendo estudos de arte, capas, curiosidades dos personagens e biografia dos autores.

Escrito e desenhado pelos gêmeos Magno e Marcelo Costa, a trama foca nas origens do vilão Capitão Feio, como um homem que não possui memórias nem passado, mas é extremamente poderoso. Solitário, quanto mais ele descobre seus misteriosos dons, mais difícil fica sua relação com a sociedade. Nesta Graphic MSP, os irmãos Costa fazem uma releitura angustiante e surpreendente do Capitão Feio, o principal vilão criado por Mauricio de Sousa.

Publicado pela PANINI desde seu lançamento, há cinco anos, o selo Graphic MSP já se tornou referência no segmento, reunindo o melhor do traço nacional em HQs produzidas pelos mais diversos artistas e estilos que reinterpretam os clássicos personagens de Mauricio de Sousa, em seus próprios traços.

O Capitão Feio de Mauricio de Sousa
O Capitão foi criado por Mauricio de Sousa para os quadrinhos em 1972. Mas sua primeira aparição foi no teatro, na peça A Turma da Mônica Contra o Capitão Feio, que estreou em outubro do mesmo ano, no Teatro Aquarius, em São Paulo. Um mês depois, em novembro, o personagem enfim daria as caras nos gibis, na história Mônica Contra o Capitão Feio, publicada em Mônica 31.

O Capitão Feio é um tio do Cascão que ganha seus poderes de sujeira após mexer numa pilha de gibis antigos e ser coberto por uma nuvem de poeira. E, quando se transforma, quer poluir o mundo, se desvincula completamente de seu alter ego e esquece tudo que viveu. Com o tempo, o Capitão Feio passaria a participar mais e mais das histórias, sempre causando problemas para a turminha do bairro do Limoeiro.

Os Irmãos Costa
Magno e Marcelo Costa nasceram em Cidade Gaúcha no Paraná e vieram para São Paulo em 1992. Começaram nos quadrinhos em 2008. Na época, enquanto faziam o álbum Oeste Vermelho, ambos tinham outros empregos. Mas foi só no final de 2011 a estreia no mercado, com o álbum já mencionado, publicado pela Devir, e Matinê, lançado de forma independente. Os elogios dos leitores e da crítica lhes renderam o Troféu I IQ Mix de desenhistas revelação.

Os irmãos lançaram outras LIQs independentes, como Bro, 2028 e Matinê — Volume 2. Participaram da coletânea Mônica(s) e assinaram uma história do álbum Memórias do Mauricio, ambos lançados pela Panini. Magno Costa trabalha com ilustração, colorização digital e produz quadrinhos o tempo todo. Já Marcelo Costa trabalha com ilustração editorial, publicidade, quadrinhos e colorização digital.

Graphic MSP
Graphic MSP é uma linha de publicações que derivou do projeto MSP 50 – Mauricio de Sousa Por 50 Artistas, que começou em 2009, para comemorar o cinquentenário de carreira do criador da Turma da Mônica. O sucesso de público e crítica foi tamanho, que vieram mais dois livros: MSP + 50 – Mauricio de Sousa por Mais 50 Artistas (2010) e MSP Novos 50 – Mauricio de Sousa Por 50 Novos Artistas(2011).

Como ficou claro que os personagens de Mauricio de Sousa permitiam voos ainda mais ousados, surgiu o projeto Graphic MSP.

A primeira Graphic MSP foi Astronauta – Magnetar, de Danilo Beyruth, lançada em outubro de 2012. Na história, o personagem criado por Mauricio de Sousa ganha uma releitura ousada, em que fica “náufrago” no espaço e luta não apenas pela sua sanidade mental, mas principalmente pela vida.

A segunda, que saiu em junho de 2013, foi Turma da Mônica – Laços, de Vitor e Lu Cafaggi. Na trama, o Floquinho, o cachorro do Cebolinha, desaparece, deixando o garoto deprimido. É quando Cascão, Mônica e Magali decidem encontrar o cão. Juntos, eles vivem uma aventura em que superarão diversos perigos graças à amizade que os une.

Depois, vieram Chico Bento – Pavor Espaciar, do Gustavo Duarte, um álbum de humor, com direito ao menino caipira ser abduzido por alienígenas; Piteco – Ingá, do Shiko, uma aventura com direito a raptos, perseguições, mulheres em perigo, lutas, resgate e amor. Bidu – Caminhos, uma releitura do primeiro encontro do Franjinha com seu cão azul; Astronauta – Singularidade, continuação de Magnetar, em que o herói espacial vai investigar um buraco negro e se envolve num grande ardil espacial; Penadinho – Vida, na qual a Alminha vai reencarnar e o fantasminha precisa criar coragem para, finalmente, dizer que ela é o amor da sua… morte; Turma da Mônica – Lições, a aguardada sequência de Laços, na qual Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão precisam lidar com as duras consequências de um erro que cometeram; Turma da Mata – Muralha, uma trama repleta de intriga política e aventura em que a Turma da Mata e o reino de Leonino estão de lados opostos e um confronto é inevitável; Louco – Fuga, trama estrelada por Licurgo Orival Umbelino Cafiaspirino de Oliveira, o Louco, que corre dos guardiões do silêncio, enquanto viaja pelas histórias para libertar um pássaro; Papa-Capim – Noite Branca, primeira trama de terror do selo, em que uma ameaça sobrenatural pode significar o fim de todos os membros da aldeia do então jovem índio; Mônica – Força, uma história tão dolorida quanto emocionante, em que a protagonista terá de enfrentar seu maior desafio e não poderá ser na base da coelhada; Bidu – Juntos, dando sequência a Caminhos, conta o início conturbado da relação entre o pequeno Franjinha e seu cãozinho azul recém-resgatado das ruas; Astronauta – Assimetria, terceiro volume de Danilo Beyruth sobre o personagem, o que era uma missão investigativa em Saturno se transforma numa aventura com desdobramentos absolutamente imprevisíveis. Na mais recente publicação do selo, Chico Bento – Arvorada, o premiado cartunista Orlandeli cria uma história tocante, com visual magnífico e momentos de amor, dor, humor, mistério e, especialmente, aprendizado.

Todas foram sucesso de público e crítica e, em 2013, Astronauta – Magnetar foi publicado, pela Panini, em cinco países da Europa: Itália, França, Espanha, Portugal e Alemanha.

Ficha Técnica
100 páginas
27,5 x 19 cm
Miolo papel couché
Brochura. R$ 26,90
ISBN: 978-85-426-0799-4
Capa dura: R$ 36,90
ISBN: 978-85-426-0798-7

Sobre a PANINI
O Grupo Panini, fundado há mais de 50 anos em Modena – Itália, com subsidiárias em países da Europa, Estados Unidos e América Latina, é líder mundial no setor de colecionáveis e a multinacional líder na publicação de quadrinhos, revistas para crianças e mangás na Europa e América Latina com exportação para mais de 110 países. Publica desde 1961 álbuns de figurinhas de futebol e adquiriu direitos exclusivos para as coleções oficiais da Copa do Mundo FIFA – Rússia 2018.