ESCRITOR POR ESCRITOR

MACHADO DE ASSIS SEGUNDO SEUS PARES 1908-1939

Disse John Gledson, estudioso da literatura brasileira, e em especial, de Machado de Assis: “Deve-se ler Machado não para compreender o Brasil, mas para ler grande literatura”. Em Por um novo Machado de Assis, ele destaca Hélio de Seixas Guimarães, não apenas por seu livro (prêmio Jabuti, 2005) no qual revela os leitores e o público de Machado de Assis no século XIX, mas pelo fato de — tendo como base uma pesquisa exaustiva e criadora — ele avançar na percepção de Machado, tanto em seus primeiros romances como nos mais maduros, levando em conta realidades brasileiras, até então não consideradas, como o analfabetismo, entre outras.

Este novo livro de Hélio de Seixas Guimarães, acompanhado de Ieda Lebensztayn — ora lançado pela IMESP—, é resultado da abrangente pesquisa realizada na Fundação Casa de Rui Barbosa, Biblioteca Nacional, Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, Instituto de Estudos Brasileiros e Biblioteca Florestan Fernandes, tendo como guia os cadernos de recortes de Plinio Doyle, com cerca de 6.000 itens.

Ambos abrem caminhos extraordinários para o conhecimento de novos textos sobre Machado de Assis, ao mesmo tempo em que disponibilizam para o público em geral raridades difíceis de serem localizadas. Em todos os artigos reunidos nesta coletânea, são indicadas as 1ª versões publicadas na imprensa, consideradas fidedignas, relacionando ao final, outros textos desses autores, organizados em ordem cronológica.

Há também textos extraídos de livros e, nesse caso, priorizaram-se versões revisadas pelos autores, como o texto de Mário de Andrade nas celebrações do centenário de Machado, em que o autor considera que talvez nem devesse escrever alguma coisa, mas o faz: “Acontece isso da gente ter às vezes por um grande homem a maior admiração, o maior culto, e não o poder amar. ” Mergulhe o leitor neste livro, para saber sobre as razões e sentimentos de Mário de Andrade.

Há ainda Lima Barreto, que a propósito do ingresso de Alfredo Pujol na Academia Brasileira de Letras, questiona o discurso dele, de maneira ácida, crítica, mas que prefere finalizar afirmando: “Para toda a gente é melhor glorificar em bruto do que admirar com critério. Sigo o partido de toda a gente e paz aos mortos”. Cabe ao leitor verificar se fica com o cerne do texto de Lima Barreto ou com sua conclusão.

Neste 1º volume, foram selecionados textos de escritores que abarcam o período de 1908 a 1939, a maioria deles contemporâneos de Machado, que com ele conviveram e muitos, a seu lado, fundaram a ABL.

No próximo volume, que avança de 1940 a 2008, com os mesmos critérios reúnem-se ensaios de poetas como Augusto Frederico Schmidt, Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira; representantes do romance de 1930, alguns mais voltados à realidade brasileira, como Graciliano Ramos, Jorge Amado, José Lins do Rego; prosadores e críticos literários machadianos como Lúcia Miguel Pereira e Augusto Meyer; e outros grandes escritores que compõem um arco que vai de Ariano Suassuna, Guimarães Rosa, Rubem Braga, até os contemporâneos como Dalton Trevisan, Lygia Fagundes Telles, Milton Hatoum.

MACHADO DE ASSIS
SEGUNDO SEUS PARES 1908-1939
Volume 1
Hélio de Seixas Guimarães, Ieda Lebensztayn [org.]
EDIÇÕES IMESP
ISBN 978-85-401-0165-4
FORMATO | 15.5 × 22.5 cm
PÁGINAS | 408
PREÇO | R$ 80,00
BROCHURA, 2 CAPAS DIFERENTES
ILUSTRAÇÕES | CARICATURAS DE J. BOSCO
FOTOGRAFIAS | COL. SEBASTIÃO LACERDA
ACERVO DO INSTITUTO MOREIRA SALLES

TEXTOS, TESTEMUNHOS, POEMAS, CARTASRUI BARBOSA ARTUR AZEVEDO EUCLIDES DA CUNHA ARARIPE JÚNIOR JÚLIA LOPES DE ALMEIDA OLAVO BILAC MÁRIO DE ALENCAR LIMA BARRETO OLIVEIRA LIMA GRAÇA ARANHA COELHO NETO HUMBERTO DE CAMPOS RODRIGO OTÁVIO MÁRIO DE ANDRADE JOAQUIM NABUCO JUÓ BANANERE MONTEIRO LOBATO CARLOS DE LAET MEDEIROS E ALBUQUERQUE OSÓRIO DUQUE ESTRADA SALVADOR DE MENDONÇA JOSÉ VERÍSSIMO FILINTO DE ALMEIDA RONALD DE CARVALHO NESTOR VÍTOR MAX FLEIUSS XAVIER MARQUES ALCIDES MAIA ANTÔNIO SALESENSAIOS | HÉLIO DE SEIXAS GUIMARÃES     IEDA LEBENSZTAYN TEXTOS COMPLEMENTARES | JOHN GLEDSON MARTA DE SENNA

SOBRE OS ORGANIZADORES
HÉLIO DE SEIXAS GUIMARÃES é professor livre-docente na área de Literatura da Universidade de São Paulo, e pesquisador do CNPq desde 2008. Prêmio Jabuti de 2005 na categoria Teoria e Crítica Literária com a obra Os leitores de Machado de Assis: o romance machadiano e o público de literatura no século 19. Tem pós-doutoramentos na Universidade de Manchester (Reino Unido) e na Fundação casa de Rui Barbosa (Rio de Janeiro). Professor na Universidade da Califórnia (UCLA) e na Universidade de Wisconsin, em Madison, USA. É também autor de Machado de Assis, o escritor que nos lê (Unesp), A olhos vistos, uma iconografia de Machado de Assis, em coautoria com Vladimir Sachetta (IMS, 2018).  
IEDA LEBENSZTAYN é crítica literária, pesquisadora e ensaísta, preparadora e revisora de livros. Mestre em Teoria Literária e Literatura Comparada e doutora em Literatura Brasileira, na Universidade de São Paulo. Colaboradora do caderno “Aliás” de O Estado de S. Paulo.