NÓS: A DISTOPIA ORIGINAL

Livro clássico do russo Ievguêni Zamiátin volta às prateleiras em edição pela Aleph

A primeira coisa que qualquer um notaria a respeito de NÓS é o fato de que Admirável Mundo Novo deve, em parte originar-se dele. A atmosfera dos dois livros é semelhante. E, em linhas gerais, é o mesmo tipo de sociedade que está sendo descrito, embora o livro de Huxley demonstre menos consciência política.
– George Orwell

Nós, romance distópico escrito em 192444 pelo russo Ievguêni Zamiátin, esgotado há anos no mercado brasileiro, volta neste mês de março pelas mãos da Aleph.

A editora preparou uma edição caprichada: texto traduzido direto do russo e duas leituras complementares. A primeira é uma resenha do livro escrita por George Orwell, autor de1984, originalmente publicada na revista londrina Tribune em 1946. Orwell ressalta a ousadia política de Nós e indica alguns dos incontáveis aspectos em que Zamiátin inspirou Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley.
Há também uma comovente carta enviada por Zamiátin a Stálin, pedindo para sair da União Soviética, onde todas as suas publicações estavam sofrendo perseguição política. “Se eu for verdadeiramente um criminoso que merece punição, não creio que mereça uma punição tão grave quanto a morte literária. Por isso, peço que essa sentença seja comutada pela deportação da URSS”, escreve.
a
Publicado em um período de crise econômica e atritos políticos, Nós causou polêmica em seu lançamento – assim como grande parte da obra do autor. Sua primeira publicação foi feita em solo norte-americano, após o livro sofrer forte censura na União Soviética, por ser considerado “ideologicamente indesejável”.

Em suas páginas, o autor imaginou um governo totalitário chamado Estado Único que, supostamente pelo bem da sociedade, privou a população de direitos fundamentais como o livre-arbítrio, a individualidade, a imaginação, a liberdade de expressão e o direito à própria vida. Um mundo completamente mecanizado e lógico, onde as pessoas não possuem nomes, mas sim números, e o Estado dita os horários de trabalho, de lazer, de refeições e até de sexo.

A trama traz a história de D-503, um engenheiro que vive pleno e feliz (exatamente como ordena o grandioso Estado Único), mas começa a duvidar das próprias convicções ao conhecer uma misteriosa mulher que comete a ousadia de bular regras, e que o contamina com a doença chamada imaginação.
DROPS Aleph
– Após a ascensão de Donald Trump à Casa Branca, títulos do gênero distópico, como 1984, retornaram às listas de mais vendidos;
– Nós foi adaptado para o cinema pelo diretor checo Vojtech Jasny em 1982, em um filme bem fiel ao livro;
– Zamiátin também colaborou com o cineasta francês Jean Renoir, sendo um dos roteiristas do filme O Submundo (Les Bas-Fonds, 1936).

Ievguêni Zamiátin nasceu na Rússia em 1884. Se formou em engenharia, mas tornou-se escritor de ficção científica como passatempo. Autor de diversos contos, peças de teatro e romances, ele também trabalhou como editor das traduções russas de autores como Jack London e H.G.Wells. Sua obra mais famosa é Nós. Zamiátin foi preso e exilado diversas vezes, mas seu exílio final foi voluntário – ele solicitou a Stálin que lhe deixasse ir viver em Paris, pois estava proibido de publicar seus textos no próprio país. Faleceu em 1937.
Dados do Livro
NÓS
Autor: Ievguêni Zamiátin
Preço: R$ 59,90
Tradução: Gabriela Soares
Páginas: 344
Acabamento: Capa Dura