Passeio pelos continentes em cinco contos de amor

Lançamento da Editora do Brasil mostra a força do amor, por meio de histórias folclóricas tradicionais, contadas por povos dos cinco continentes do planeta

O Amor, contado gerações após gerações e suas diferentes tradições com o imaginário de diferentes povos, é o fio da meada para o escritor Rogério Andrade Barbosa nos levar a um passeio pelo folclore e mitos dos cincos continentes do planeta.

São contos cuidadosamente selecionados e recontados por Rogério no livro “Contos de amor dos cinco continentes”, um lançamento da Editora do Brasil. Nele, os contos folclóricos de cada povo e sua região têm como tema central o amor, sempre presente nas histórias de fantasias e mitos, passados de pai para filho, em alguns povos dessas regiões.

As histórias, que se passam nos territórios atuais de Austrália, Burkina Faso, Tailândia, Suécia e Estados Unidos, mostram a força do amor dos casais enamorados, que buscam superar os obstáculos da natureza, do tempo, da morte, das diferenças sociais e do preconceito para ficarem juntos. Para cada história, foi escolhido um ilustrador do continente ou país do qual o conto é originado. No total, são seis ilustradores – o da capa e de alguns elementos ao longo do livro é brasileiro.

Da Austrália, o conto escolhido é uma narrativa do povo wiradjuri, uma das nações dos aborígenes, que ocupavam a ilha antes da chegada dos europeus e narravam várias histórias da existência de um monstro, Wahwee, um anfíbio assustador com corpo de serpente e cabeça de sapo. O conto fala do amor entre Nerida e Birwain, o casal que desafiou a força Wahwee, morreu abraçadoe se transformou nos lírios e juncos dos lagos da Austrália.

Na África, o conto de “Yennenga, a mulher-soldado”, traz a cultura do povo mossi, na região da África Central, hoje conhecida como Burkina Faso. Uma terra colonizada pelos franceses, que se tornou independente só em 1960. Yennenga é a filha de um rei que não tinha filho homem. Para satisfazer sua frustração, o rei trata Yennenga como se fosse um homem, corta seus cabelos, faz com que use roupas masculinas e a coloca para liderar seu exército. Ela se torna uma excelente guerreira, mas desafia seu pai para ter o direito de ter filhos. É expulsa de casa, mas encontra seu parceiro ideal, Riale, com quem se casa. O casal seriam os ancestrais de todo o povo mossi. Ela, uma princesa do reino de Mamprusi; ele, um caçador de elefantes do povo mandé. Os mossi fazem parte de uma sociedade patriarcal até hoje, nas quais as castas não se falam e apenas o homem tem direito a herdar os bens dos seus pais.

O conto da Ásia vem da Tailândia, país budista, apresentando elementos típicos dessa religião, como a crença na reencarnação e na ideia de que os pássaros poderiam renascer em seres humanos e recuperar o amor perdido na vida passada. Assim é o conto da princesa e do colhedor de arroz, que voltam a se encontrar em outra vida depois de terem sido separados quando eram pássaros em um incêndio em que morreram com os filhos.

No conto dedicado à América, mais uma vez o casal é separado pela morte e um dos seus integrantes tenta trazer o outro à vida. É o que acontece com a história de amor entre Flor de Salgueiro e Nuvem Branca, do povo tewa, indígenas da América do Norte. Flor de Salgueiro morre e seu marido, Nuvem Branca, tenta trazê-la de volta, desafiando as regras das práticas mortuárias de seu povo. Um xamã decide ajudá-los, enviando o casal aos céus para que pudessem se encontrar e viver para sempre por lá. O povo da região, nas noites de muitas estrelas, olham para duas delas que estão próximas, uma é Flor de Salgueiro e outra é Nuvem Branca.

O conto dedicado ao continente europeu vem da Suécia e narra a história de amor entre Thale e Agerup, separados pela condenação do rapaz à prisão. Agerup tenta enganar o rei com uma esperteza para ficar com a amada. A história pertence aos tradicionais contos escandinavos, herdeiros da tradição nórdica ou germânica, de cuja mitologia vêm deuses como Odin, Thor, Loki e outros venerados vikings.

Contos de Amor dos Cinco Continentes
Formato: 20,5 cm × 23,5 cm
Número de Páginas: 56
Preço sugerido: R$54,80

Sobre o autor
Rogério Andrade Barbosa, é professor escritor e contador de histórias e ex-voluntário das Nações Unidades (ONU) na Guiné Bissau, África. Seu trabalho põe em foco as histórias do folclore brasileiro, a literatura afro-brasileira e africana e os programas de incentivo à leitura. Publicou mais de 90 livros infantis e juvenis e alguns deles receberam prêmios como o da Academia Brasileira de Letras e o Prêmio Ori. Recebeu ainda reconhecimentos como menção no catálogo White Ravens (Biblioteca Internacional do Livro Infantil e Juvenil de Munique) e o selo Altamente Recomendado (FNLIJ). Desde garoto foi fascinado por livros com histórias tradicionais de cultura de cada canto do mundo. Depois de muitas pesquisas, selecionou um conto de cada continente que trabalhasse a temática amorosa. O resultado é este livro.

Sobre os ilustradores
Maurício Negro é escritor, ilustrador e designer gráfico brasileiro. Graduado em Comunicação Social, atua sobretudo com projetos relacionados a culturas circulares, indígenas, populares e meio ambiente, pelos quais tem participado de eventos, catálogos e exposições. Recebeu prêmios e menções no Brasil e no exterior. É membro do conselho gestor da Sociedade dos Ilustradores do Brasil (SIB).

Daniel Gray-Barnett é australiano, ilustrador, autodidata e autor das imagens do conto ‘Nerida e Birwain”. Após concluir seus estudos em Ciência Médicas, decidiu trocar o microscópio pelo lápis. Suas ilustrações foram publicadas em jornais como o The New York Times e The Boston Globe. Seu trabalho foi premiado pela Sociedade de Ilustradores de Nova York e pela revista Communication Arts.

Setor Fiadzgbey éo ilustrador do conto “Yennenga, a mulher-soldado”. Ele vive em Accra, Gana, onde nasceu. Após receber diploma de Engenharia, decidiu seguir carreira nas Artes. Atualmente trabalha com storyboards para TV e cinema, animação, quadrinhos e ilustração.

Suntur – Youzanun Wutigonsombutkul, ou Suntur, nasceu em Bangkok, Tailândia. É o artista responsável pelas ilustrações do conto “Os pássaros do arroz e a flor de lótus”. É formado em Artes pela Silpakorn University e ilustra livros, revistas, roupas, etc. Seu traço é caricatural e seu desenho caracteriza pelas formas exageradas.

Brooke Smart ilustra o conto “Flor de Salgueiro e Nuvem Branca”. Ela mora e trabalha em Salt Lake City, Estados Unidos. É professora de ilustração e Design nas Brigham Young University. Suas ilustrações são baseadas no cotidiano e nas relações interpessoais. Para a produção de seus trabalhos ela costuma usar guache e aquarela.

Elisabet Ericson ilustrou o conto “Os Pinheiros de Ugerup”. Nasceu em Sundsvall, Suécia, e atualmente mora em Estocolmo. Estudou ilustração, animação e concluiu seu curso de Design e Ilustrações pela Konstfack College of Arts and Crafts. Além do trabalho com ilustração, produz curta-metragens de animação. Atualmente trabalha em seu primeiro livro infantil como autora e ilustradora.

Sobre a Editora do Brasil
Fundada em 1943, a Editora do Brasil atua há mais de 70 anos com a missão de mudar o Brasil por meio da educação. Como empresa 100% brasileira, foca a oferta de conteúdos didáticos, paradidáticos e literários direcionados ao público infantojuvenil. Foi fundadora da CBL, SNEL, FNLIJ, IPL e da Abrelivros. Os títulos estão disponíveis para comercialização por meio da loja virtual da Editora Brasil (http://www.editoradobrasil.com.br/lojavirtual/) ou nas lojas físicas, em São Paulo (Rua Conselheiro Nébias, 887 – Campos Elíseos, São Paulo – SP), Rio de Janeiro (Rua do Bispo, 150 – Rio Comprido-RJ) e Natal (Rua dos Caicós, 1533 – Alecrim, Natal- RN)