UM POVO TENTANDO PRESERVAR SUA IDENTIDADE

Lançamento da Editora Melhoramentos, O KARAÍBA – UMA HISTÓRIA DO PRÉ-BRASIL, aborda a vida dos indígenas, com suas crenças, rituais, amores, dramas e muitas aventuras, antes de os europeus aportarem por aqui.

“Coisa ruim vai acontecer em breve. Serão tempos difíceis. Fantasmas dos antepassados chegarão nesta terra e tornarão nossos povos escravos de sua ganância. Eles não terão piedade nem dos velhos nem das crianças. Simplesmente se sentirão donos deste lugar e de sua gente.” Com essas palavras, o sábio Karaíba espalhou  medo e apreensão entre os habitantes das aldeias por onde passou divulgando sua profecia. E deixou com os caciques a difícil missão de decifrar o que ela queria dizer e como poderiam preparar seu povo para enfrentar o perigo que se anunciava.

Com esse mote, o escritor Daniel Munduruku desenvolve uma história repleta de aventura e ação, retratando costumes, valores, amores, crenças e tradições dos povos indígenas que viviam aqui antes da chegada dos europeus. A trama de O Karaíba – Uma História do Pré-Brasil, embaralha os destinos de quatro jovens de três aldeias: Perna Solta, que é apaixonado por Maraí, uma jovem de outra aldeia, mas que vive na sua desde pequenininha; Potyra, filha de cacique tupiniquim, que não aceita seu destino de mulher e quer ser guerreira; e Periantã, filho de cacique tupinambá.

Tudo isso porque o velho Karaíba, que anunciou o mal que se aproximava, também deu uma pista sobre de que maneira ele poderia ser combatido. Segundo a profecia, nasceria um menino capaz de unir todos os povos indígenas daquela região contra o demônio que viria de longe. Esse menino seria grande em coragem e nasceria como fruto do casamento entre uma índia guerreira e um bravo guerreiro de outra aldeia, selando a paz entre povos inimigos. Até as três aldeias combatentes descobrirem quem seria o casal que geraria esse salvador, muita aventura acontece.

Com essa obra, o autor contesta a ideia de que os indígenas eram povos selvagens e primitivos. Na narrativa, ele descreve a sociedade indígena com suas leis, organização e hierarquia social e econômica. E como esses povos reagem ao se sentirem ameaçados com a possível chegada de uma guerra que destruiria seu povo e sua sociedade.
Autora: Daniel Munduruku
Formato: 17 x 24 cm
Número de páginas: 128
ISBN: 978-85-06-08319-2

Sobre o autor
Graduado em Filosofia, com licenciatura em História e Psicologia, o escritor indígena Daniel Munduruku é diretor-presidente do Instituto Casa dos Saberes Ancestrais (UKA). Já escreveu mais de cinquenta livros para crianças, jovens e educadores. Muitas dessas obras receberam o selo de Altamente Recomendável, concedido pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (Fnlij). Entre as diversas premiações que já recebeu, destacam-se o Prêmio Jabuti, o Prêmio da Academia Brasileira de Letras, o Prêmio Tolerância (outorgado pela Unsesco) e o Prêmio Érico Vannucci Mendes (concedido pelo CNPq). Reside em Lorena, SP, onde fundou a Academia de Letras local.

CRISTINO WAPICHANA CONTA UMA HISTÓRIA DE AMIZADE E LEALDADE ENTRE UM CURUMIM E SEU CACHORRO
O autor resgata tradições, histórias e cultura de seu povo
 
Escritor e músico premiado, produtor do Encontro de Escritores e Artistas Indígenas, Cristino é do povo indígena Wapichana e lança, pela Editora Melhoramentos, O Cão e o Curumim, uma história que renasce de suas memórias ao resgatar as tradições do seu povo, apresentando ao leitor recortes do dia a dia do curumim, e de sua amorosa e respeitosa relação com seus familiares, com a natureza e com os animais.
A história do curumim com o seu cão Amigo, traz elementos do cotidiano de uma comunidade indígena e contribui para a compreensão da importância do respeito aos animais domésticos e selvagens. “Meu avô sempre falava que tínhamos de alimentar bem o corpo e também o espírito para crescermos fortes e saudáveis, para buscarmos ter a coragem do bem-te-vi, a leveza de uma pluma e a velocidade de um beija-flor. Mas, não era só isso: dizia também que tínhamos de ter a força e a destreza de uma onça e a fidelidade e o coração de um cão.”
A fidelidade do cão Amigo, ganha vida através das cores e pinceladas de Taisa Borges. Palavras do vocabulário wapichana também são destacadas e têm o seu significado e importância na própria história.
Título: O Cão e o Curumim
Autor: Cristino Wapichana
Ilustrador: Taisa Borges
Páginas: 96 | Formato: 15,5 x 21 cm
ISBN: 978-85-06-08323-9
Preço de capa: R$ 50,00
 
Autor
Escritor e músico premiado, produtor do Encontro de Escritores e Artistas Indígenas, Cristino Wapichana, é do povo indígena Wapichana. Nasceu em Boa Vista, Roraima. Atualmente mora em São Paulo. Contador de histórias e palestrante, tem cinco livros publicados. Foi nomeado Patrono da Cadeira Literária 146 da ALP – Academia de Letras dos Professores da Cidade de São Paulo. Em 2018 foi o escritor brasileiro escolhido para figurar na lista de honra do IBBY (International Board on Books for Young People).