A volta ao mundo em 80 dias

Será que essa geração sabe o que é bom? Os melhores clássicos para crianças estão com nova cara, tradução e um projeto gráfico maravilho, ou seja, Júlio Verne está de volta. O selo Via Leitura, da Edipro, trouxe essas obras para que os pequenos tenham conhecimento do quão são importantes para o desenvolvimento literário da criança.

Considerado o pai da ficção científica, Verne escreveu uma das obras mais conhecidas e impressionantes do gênero, A volta ao mundo em 80 dias é um divertido romance de aventura. Entretanto, é também um registro acurado do conhecimento do autor sobre a geografia – por meio de maravilhosas descrições das paisagens e cidades ao redor do globo – e a mecânica – explorando, em detalhes, o funcionamento dos vários meios de transporte utilizados pelos personagens. A jornada do metódico lorde inglês Phileas Fogg e de seu destemido criado Passepartout começa com uma inesperada aposta em um clube de cavalheiros londrino. Mas como completar uma volta na Terra em 80 dias? – eis o grande desafio dos heróis da trama. As estratégias de Fogg levam a dupla a enfrentar fanáticos religiosos no interior da Índia, tormentas marítimas a caminho do Japão e até tribos indígenas nos Estados Unidos. Obra-prima do pai da ficção científica, este é um clássico da literatura para todas as idades.

Editora: Via Leitura
Assunto: Literatura infantojuvenil
Preço: R$ 45,00
ISBN: 9788567097367
Edição: 1ª edição, 2017
Tradução: Daniel Aveline
Tamanho: 14×21 cm
Número de páginas: 224

Sobre o autor
Júlio Verne (1828-1905) foi um escritor francês ao qual muitos críticos creditam a criação do gênero ficção científica. Filho mais velho de um advogado de Nantes, no interior da França, deu início a sua carreira literária influenciado pelas obras de Alexandre Dumas e Victor Hugo. Pesquisador voraz e dono de uma fértil imaginação, logo alcançou a fama com suas descrições de viagens e seus constructos fantasiosos. Em suas obras, chegou a predizer avanços científicos que só se tornariam reais décadas após sua morte, como o submarino moderno que aparece em Vinte mil léguas submarinas e a viagem espacial de Da Terra à Lua.